Aguarde, carregando...

Blog1

Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com termonebulizadores Pulsfog

  • 17/Sep/2022
  • 0
  • 2199
Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog

Atualmente, as formigas tornaram-se pragas importantes na maioria das áreas cultivadas, incluindo florestas homogêneas e pastagens, causando perdas consideráveis na produção das culturas.
O seu combate é fundamental em reflorestamento, já que elas constituem fator limitante, causando perdas diretas, como morte de mudas e redução no crescimento de árvores; indiretas, como diminuição da resistência das árvores a outros insetos e agentes patogênicos, a desuniformização nos povoamentos, em razão das desfolhas, além da quantidade enorme de defensivos aplicada no controle das pragas.
Em áreas de eucalipto, com alta infestação de formigas-cortadeiras, as árvores poderão totalmente desfolhadas, chegando a formar uma clareira no meio do reflorestamento. Isso ocorre, pois as formigas atacam as plantas, durante toda a sua fase de crescimento, impedindo a sua sobrevivência. Ao contrário, em áreas com plantas adultas e em fase de manutenção do plantio, mesmo que ocorra redução da produção da madeira com o ataque de formigas, a morte de plantas é muito menor.
Para ter uma ideia dos prejuízos causados pelas formigas-cortadeiras, a quantidade de vegetação cortada, apenas por saúva em florestas pode variar de 12% a 17% da produção. Além disso, pode representar 75% dos custos e do tempo gasto no controle de pragas em reflorestamento, além de provocar perda de 13% da madeira, quando as árvores de eucalipto sofrem uma desfolha de 100%.
Também, existem os gastos envolvidos no esforço humano para combate, ainda que considerar os efeitos da escavação dos ninhos que danificam represas, pontes, estradas e rodovias, em razão das galerias e das câmaras subterrâneas que esses insetos constroem.

Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog     Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog
Arquitetura dos formigueiros e desenho esquemático de um sauveiro adulto 

Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog     Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog
 

 

Controle de formigas cortadeiras

A Pulsfog Pulverizadores oferece o termonebulizador modelo pulsFOG K-10 TM, especialmente desenvolvido para a realização deste serviço. Este equipamento possui um tubo de descarga próprio para a injeção da névoa em ambientes subterrâneos. O seu motor pulso-jato de alta potência é indicado para trabalho pesado, pois não possui partes móveis e apresenta baixa manutenção. 

Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog

Termonebulização

Essa técnica consiste em introduzir no interior do formigueiro formicida líquido transformado em fumaça, por um termonebulizador. A termonebulização é uma técnica altamente eficiente, uma vez que mata as formigas por contato e ingestão. Mesmo as formigas que não forem diretamente atingidas pelo formicida certamente morrerão, ao se alimentarem do fungo contaminado. A paralisação das atividades da colônia ocorre imediatamente, e a eficiência é perto de 100%.
A termonebulização é especialmente indicada para formigueiros que se confundem, que apresentam grandes dimensões, que sejam amuados ou mal combatidos, que estejam escondidos ou que se encontrem pisoteados pelo gado.
Também é indicada para locais onde haja grande número de formigueiros, para terrenos encharcados e, principalmente, para o combate em dias chuvosos. Como vantagens da termonebulização, podemos citar o pequeno consumo de formicida por formigueiro e a possibilidade de aplicação em qualquer época do ano e em qualquer tipo de terreno. Além disso, não há necessidade de medir a área do formigueiro e de tratar todos os olheiros.

Controle de formigas cortadeiras (saúvas) com  termonebulizadores Pulsfog

O tratamento com termonebulizador exige a presença de duas pessoas: uma para operar a máquina e outra para tapar os locais onde sai fumaça. Quando a fumaça estiver saindo por toda a colônia, o cano aplicador é retirado e o olheiro de aplicação é vedado. Quando se observar que não está havendo saída de fumaça em alguma parte do formigueiro, o termonebulizador deve ser levado para um olheiro localizado nessa área, repetindo se a operação. Durante a termonebulização, é necessário tomar os devidos cuidados para evitar os malefícios causados pela inalação da fumaça tóxica.

Galeria de fotos

Sem comentários

Olá, deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Para falar sobre suas necessidades, ligue para (11) 4054-0313 - (11) 98160-0253

Fale conosco:

Assine um plano:

Resgate seu copom: